Mitos culinários derrubados pela ciência

A ciência conseguiu desmistificar algumas “verdades culinárias”, provando que nem todas aquelas regrinhas que você cresceu ouvindo são necessárias.

Marinar e selar a carne são dois mitos culinários que foram desvendados!

Vem conferir quais são os mitos sobre marinar e selar a carne!

Quem resolve se aventurar na cozinha costuma sempre levar na bagagem alguns conselhos culinários em que confiam a vida toda. Afinal, até os familiares são ótimos guias nesse momento, dando uma luz em como caprichar nas receitas para não fazer feio. Mas todos esses conselhos são “verdades” até que se prove o contrário!

A ciência foi atrás de alguns mitos e descobriu que nem todos são tão relevantes assim. Apesar de serem ditas repetidamente, passando de boca em boca, foi provado que essas possíveis “verdades culinárias” podem estar apenas te dando mais um trabalho na hora de preparar a comida. E convenhamos: preferimos a praticidade e sabor na hora de exercer as habilidades na cozinha, né?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)
Descubra como é simples fazer um macarrão saboroso e sem ficar com aparência de "unidos venceremos".

Um macarrão saboroso, soltinho e sem muita frescura!

Ficou curioso? Então veja como você vai passar a encarar o azeite e outros ingredientes com outros olhos!

“Cozinhar macarrão? Só se for em panela grande com água fervendo!”

Comecemos com a nossa comida prática que às vezes nos salva na correria do dia a dia: o macarrão! Neste mito, muitas pessoas alegam que uma panela grande é responsável por ferver a água mais rapidamente e dar “mais espaço” para que a massa não grude, formando o famoso “unidos venceremos”.

Mas diferente do que diz a música “panela velha é que faz comida boa”, panela pequena também pode arrasar no preparo do macarrão. Isso porque a panela menor demandará menos energia para ferver, sendo mais prática. Outro ponto é que, ainda que você coloque a mesma quantidade de massa na panela grande e na pequena, a temperatura da água abaixará igualmente e as duas alcançarão a ebulição novamente em um tempo praticamente igual.

Quanto ao “unidos venceremos”, o recomendado é ficar de olho no macarrão logo nos primeiros 60 segundos após ser colocado na panela, pois é nesse tempo que o amido da massa incha, resultando naquele grude!

Não é estritamente necessário marinar a carne para que ela fique saborosa.

Nem sempre é necessário marinar a carne de um dia para o outro para que fique saborosa.

“Pra carne pegar bem o gostinho do tempero, só se deixar marinando de um dia pro outro!”

Muitas pessoas acreditam fielmente que uma marinada de um dia para o outro é a responsável por garantir uma carne temperada com excelência. Porém, isso demanda uma certa paciência pra esperar todo esse tempo, além do compromisso em se organizar para temperar de véspera.

O que se descobriu é que não é obrigatório esse tempão todo para deixar sua carne saborosa! O sal, um pouco de açúcar e alguns ácidos são capazes de dar conta do recado ali mesmo, na hora do preparo. Afinal, o tal do tempero ficará apenas na parte superficial da carne.

Mas há casos na qual a marinada é uma boa pedida: quando a carne estiver dura, a mistura ácida da marinada vai ser uma boa solução para amadurecê-la e deixá-la mais macia. Mas é válido lembrar que a marinada irá interferir na sua textura, e não necessariamente no sabor.

“A alta temperatura é o principal fator responsável por selar a carne e deixá-la suculenta!”

Ainda sobre carnes, muitos falam sobre a técnica de colocar a carne diretamente em fogo alto, garantindo uma carne selada por fora que protegeria o seu interior ao ser levada ao forno logo em seguida, resultando em uma carne suculenta. Porém, a história não é bem assim.

Ao ser exposta a altas temperaturas, a carne contrai suas fibras e acaba perdendo seu líquido, tornando-se menos gostosa. Sendo assim, o processo para uma carne suculenta consiste em primeiro assar a carne e, em seguida, selá-la. Pode ter certeza de que a carne ficará ainda mais saborosa e pronta para compor pratos deliciosos!

Sim: os azeites podem ser utilizados para fritar!

Ao contrário do que muitos pensam, azeite é uma boa opção para fritar alimentos!

“Azeite para fritar? Nem pensar!”

Finalizamos com um mito polêmico acerca do azeite: afinal, pode ou não pode fritar com azeite?

Ao contrário do que era falado, pode, sim, fritar alimentos com azeite – e inclusive é uma opção “mais benéfica”, que produz menos substâncias desagradáveis ao organismo se comparado aos outros meios (tal como óleo de soja, por exemplo). Isso porque diziam que o azeite, ao entrar em contato com temperaturas elevadas, acabava produzindo compostos químicos que poderiam ser tóxicos.

A boa notícia é que tudo não passa de um mito: o azeite não se decompõe quando exposto a altas temperaturas, e ainda gera menos substâncias químicas — e por isso, uma ótima escolha para se fritar os alimentos.

E aí, você já desvendou algum mito culinário que a gente não conhece? Conta pra gente nos comentários!

Recomendadas
Pela Web