Vegetarianos e veganos: as diferenças

Pelo tipo de restrição em sua dieta, a pessoa pode ser considerada vegetariana ou vegana; entenda as diferenças.

Entanda as diferenças básicas entre ser vegetariano e ser vegano.

Muitas pessoas confundem veganismo com vegetarianismo. E, a princípio, é mesmo fácil de fazer essa confusão, já que as duas vertentes têm restrições quanto aos produtos de origem animal.
Essa confusão ainda aumenta com o grande número de adeptos tanto de um quanto de outro, e o avanço consequente que o assunto ganha nas redes sociais, que reúnem uma infinidade de informações acerca do assunto, mas nem sempre corretas.
Mas apesar de muitas similaridades, os dois grupos apresentam diferenças bastante significativas. E nesta matéria, vamos esclarecer alguns pontos importantes para que você entenda melhor cada um deles.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Antes de mais nada, é importante saber que o termo vegetariano inclui um grupo mais abrangente, de pessoas com práticas diferentes, mas que excluem, a princípio, o consumo de carne, incluindo peixe. Mas essas dietas diferentes incluem ou excluem certos tipos específicos de alimentos, tornando a divisão do grupo dos vegetarianos ainda maior. Eles formam quatro grupos principais, que são:

Ovolactovegetarianos: São as pessoas que não consomem nenhuma carne, mas não excluem ovos, leite e derivados;

Lactovegetarianos: Excluem de sua dieta carne e ovos, mas consomem laticínios. Esse tipo de vegetarianismo é muito comum na Índia, e é motivado por questões religiosas;

Vegetarianos estritos: Esse grupo considera o consumo de carne, ovos e laticínios nocivo à nossa saúde, aos animais, ao meio ambiente etc.;

Veganos (ou vegans): As pessoas desse grupo são, antes de mais nada, vegetarianos estritos, porém, levam a filosofia para além do campo alimentício, deixando de consumir outros produtos de origem animal (como o mel e o couro) e tantos outros que são testados em animais.

Para ficar mais fácil, vamos tratar aqui de dois grupos: vegetarianos (que inclui os ovolactovegetarianos e o lactovegetarianos) e os veganos. Então, vamos às diferenças!

Motivações: Os vegetarianos podem ter uma série de motivações para deixar de comer carne. Uns param pela questão ética quanto ao tratamento e à exploração dos animais, outros deixam de ingerir carne por questões de saúde, outros, ainda, por religião. Em mundo em que restrições alimentares devido às condições de manipulação da comida e utilização exagerada de produtos prejudiciais à nossa saúde são cada vez mais comuns, deixar de consumir carne pode ser uma grande solução.
Já os veganos (ou vegans) optam por parar de consumir proteínas e produtos de origem animal por uma razão ética, ou seja, por não concordarem com a exploração dos animais para suprimento de necessidades dos seres-humanos. O veganismo é, portanto, uma forma de luta contra o que o mercado promove na vida dos animais, criando-os exclusivamente para nossa alimentação e bem-estar.
O ponto-chave das diferenças quanto à motivação de cada grupo é que, para os veganos, não faz sentido lutar por uns animais (neste caso, apenas os que servem de alimento) e deixar a causa de tantos outros, também ou mais explorados que estes, de fora.
E que outros animais são esses? São os que servem para a cadeia de vestuário, os que sofrem testes agressivos por conta da indústria farmacêutica e de cosméticos etc.

Alimentação e costumes: Os veganos não consomem nenhum produto de origem animal. E isso vai muito além da carne! Como dito acima, os adeptos do veganismo excluem de sua vida produtos de empresas que fazem testes em animais, produtos como couro, lã, mel, ovo, leite e seus derivados, corantes de origem animal, como é o caso da cochonilha — corante para fazer a cor rosa dos produtos de morango etc. Por essas razões, os veganos se mantêm em estado de alerta para saberem ao certo o que pode ser consumido sem afetar sua conduta.
Já os vegetarianos têm esse alerta reduzido, já que excluem basicamente a carne de sua alimentação. É lógico que podem evitar produtos diversos (esses dos quais falamos no parágrafo acima), mas não é seu foco.  

Independente das divergências entre as filosofias, o importante mesmo, se você quer adotar uma dieta de restrição como essas, é estar ligado em questões importantes.
Primeiro de tudo, você precisa entender o porquê de parar de comer carne. Desse ponto, você terá noção de que dieta seguir e o que restringir. Com isso em mente, você pode partir para conhecer melhor os alimentos permitidos, programando uma dieta melhor para você. Se for parar de vez com as proteínas de origem animal, é necessário saber que vegetais fornecem proteínas suficientes para compensar em seu organismo. E a boa notícia é que alguns vegetais têm tanta ou mais proteína que a carne.
O ideal é fazer um acompanhamento nutricional para que sua adaptação à nova realidade ocorra de forma tranquila e saudável. Só não perca a motivação ao se deparar com as primeiras dificuldades que aparecerem. Lembre-se de que vivemos em uma sociedade majoritariamente carnívora, então o desafio não será fácil. Mas já podemos contar com muitos produtos que tornam a vida dos vegetarianos em geral bem mais tranquila. Então mantenha-se firme no propósito, informe-se e siga em frente!

Recomendadas
Pela Web