Entrevista com Izabel Alvarez, vencedora do Masterchef

Para os fãs do Masterchef: confira uma entrevista superbacana com a vencedora da segunda edição do programa, Izabel Alvarez!

O Masterchef é um reality show culinário que faz muito sucesso no Brasil e no mundo. A segunda edição brasileira do programa, veiculada em 2015, foi vencida por Izabel Alvarez, uma carioca simpática e talentosa. No mês do Dia Internacional da Mulher, o TudoGostoso entrevistou Izabel, que nos contou mais sobre a sua trajetória no programa, suas preferências culinárias e sobre os planos para a sua carreira. Confira a seguir!

Izabel Alvarez, vencedora da segunda edição do Masterchef

Izabel Alvarez, vencedora da segunda edição do Masterchef

De onde surgiu a sua vontade de cozinhar?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Cozinho desde muito nova. Comecei aprendendo com o meu pai aos 12 anos. Criei uma relação de muita afetividade com a comida, justamente porque ele trazia ingredientes novos toda vez que viajava. Meu pai viajava muito a trabalho.

Quais são os ingredientes que você mais gosta de cozinhar?

Abóbora é meu ingrediente preferido! Pra tudo! Amo também peixes e carnes.

Quais cozinheiros você mais admira?

(Paul) Bocuse, claro, Paola (Carosella), Rolland Villard e Ângela, do tempero da Ângela, restaurante de fogão à lenha de uma cidade chamada Bichinho, em MG. Melhor comida da minha vida!

Qual é a sua receita de doce preferida? E salgado?

Toucinho do céu e macarrão à carbonara.

Você tem algum guilty pleasure na cozinha? Algo que você adora, mas que não seja tão saudável?

Tenho muitos! Frituras, bolinhos em geral, coxinha, croquetes, etc. Estou amando a moda do arancini! Tomara que nunca acabe!

Qual foi a sua motivação para participar do Masterchef?

A vontade que sempre tive de trabalhar com gastronomia e o fato de me sentir um pouco velha pra começar do zero, uma faculdade, etc. Achei que o programa me ajudaria a chegar lá, se conseguisse entrar.

Izabel Alvarez

Izabel Alvarez

Como foi a sua experiência no Le Cordon Bleu (rede internacional de ensino de gestão de hospitalidade e de escolas de culinária)?

A melhor coisa da minha vida. Não só pela experiência da escola em si, mas por poder morar na França, conhecer novas comidas e pessoas maravilhosas.

Você já sofreu algum tipo de preconceito na sua vida profissional? Algum deles por ser mulher?

A cozinha profissional é muito machista. É conhecida a dificuldade da mulher de ser respeitada no ramo. Envolve força, suor, uma certa agressividade e muitos homens consideram que somos incapazes de nos igualarmos a eles. É difícil… mas eu, pessoalmente, sofri preconceito mais por ter ganhado um reality show. Tive que me provar na cozinha mesmo. Muita gente acha que é armado e que não cozinhamos de verdade.

Recentemente, você emagreceu bastante. Você sofreu algum tipo de preconceito na época do Masterchef? Como foi se ver na televisão e também lidar com os comentários acerca da sua imagem e da sua participação no programa?

Sofri muito preconceito. Muita gordofobia e isso foi sim, um impulso pra mudar. Me ver todos os dias, reconhecer questões físicas escancaradas ali não foi fácil. Entendi que as pessoas associam gordura a falta de caráter, falta de higiene, etc. Muito triste.

Você costuma sair para comer? Quais tipos de comida você prefere?

SEMPRE! Amo comida italiana e restaurantes de comidinhas, tapas… Esse tipo de restaurante permite que você coma vários pratinhos e que conheça mais sobre o lugar.

Nos conte qual é a aquele tempero indispensável para os seus pratos!

Fogo alto, sempre! Nada de comida triste, pálida… Eu gosto de comida com força, torradinha, com casquinha e caramelizada.

Como o site Magrela surgiu? Quais são os seus planos para esse projeto?

Resolvi compartilhar as receitas que uso no meu dia a dia a pedido das pessoas que seguem o mesmo estilo de vida low carb que eu. A Magrela vira livro esse ano e depois de uma experiência de mercado rápida, devo lançar um e-commerce ainda no primeiro semestre com vários quitutes!

Recomendadas
Pela Web