Como o azeite beneficia nossa saúde

Estudos em todo o mundo indicam que o consumo do azeite de oliva impacta de forma positiva o funcionamento do organismo.

O azeite de oliva, extraído da azeitona, beneficia desde nosso coração até nossa pele e cabelo.

Extraído do fruto da oliveira, a famosa azeitona, o azeite é típico e largamente consumido nos países mediterrâneos, principalmente na Grécia. Muitos atribuem a boa saúde e a longevidade dos povos dessa região à ingestão de azeite, que dão uma força ao nosso coração, é antioxidante, entre outras propriedades.
É bom ressaltar que, nesta matéria, estamos falando das propriedades e benefícios provenientes do consumo do azeite extra virgem, que, ao contrário dos demais tipos, não passa por processo de refino e não sofre com adição de produtos que reduzem a qualidade do óleo.
Mas quais são os benefícios do azeite de oliva, afinal? Vamos a eles!

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ajuda o seu coração: Estudos espanhóis afirmam que o consumo de azeite de oliva retarda o envelhecimento natural do seu coração, veias e artérias — você não leu errado, nossos órgãos internos, assim como os externos, sofrem com o envelhecimento. Portanto, o azeite ajuda a manter nosso sistema cardíaco jovem.
Além disso, outros estudos, desta vez franceses, apontam que o óleo de oliva ajuda a prevenir enfartos em até 41% e hipertensão arterial.

Controla o colesterol: Após seis semanas de ingestão de azeite de oliva, mais de 40 pacientes em um estudo realizado no Japão apresentaram diminuição das taxas de LDL (o colesterol ruim) e aumento das taxas de HDL (o bom). Como os níveis de LDL estão estritamente ligados ao acúmulo de gordura nas veias e artérias, o azeite impede esse acúmulo, evitando doenças coronárias diversas e, como já dito, enfartos.

Previne alguns tipos de câncer: Pouco se sabe acerca das propriedades anticancerígenas do azeite e como o alimento atua no organismo de modo a nos proteger da doença. No entanto, sabe-se que a ingestão do óleo extra virgem atua como um sinalizador natural que avisa às células do corpo que elas estão sofrendo ataques de um oncogene, impedindo que ele danifique seu DNA.
Outra característica neste campo é que, por ser antioxidante, o azeite evita a oxidação do DNA celular, o que impede que as células cancerígenas se multipliquem de forma descontrolada.

Protege contra a osteoporose: O azeite pode ser um ótimo aliado na prevenção e no tratamento da osteoporose pois atua diretamente na melhora da densidade óssea. E a osteoporose é uma doença que afeta exatamente esse campo, deixando nossos ósseos frágeis. Mulheres na menopausa, por terem mais tendência a desenvolver a doença, devem caprichar no consumo do óleo.

Diminui o risco de depressão: Outro estudo espanhol analisou 12 mil pessoas, parte delas consumindo o azeite como sua principal fonte de gorduras, parte ingerindo outras fontes. Como o fato de a gordura trans estar diretamente ligada ao elevado risco de depressão já ser conhecido à época, o estudo serviu para afirmar que o consumo regular de azeite, com maior parte de gorduras boas em sua composição, reduz em até 48% a chance de se ter a doença ao longo da vida.

Reduz as chances de Mal de Alzheimer: Apesar de os estudos até agora terem sido realizados apenas com camundongos e de serem necessários mais pesquisas para a comprovação da informação, acredita-se que a ingestão de azeite de oliva reduz as chances de se ter Mal de Alzheimer.

Recomendadas
Pela Web